De 0 ao 1

O lançamento das campanhas das candidatas a deputadas estaduais para a reeleição no Paraná

Autores

DOI:

https://doi.org/10.31068/tp.v32iesp.1.1050

Palavras-chave:

Candidaturas femininas, Reeleição, Paraná, Comunicação, Redes sociais

Resumo

Há muito tempo, a participação das mulheres brasileiras em disputas eleitorais é limitada, apresentando números inferiores aos de outros países latinos. A participação das mulheres nos processos eleitorais no país é restringida por várias razões, incluindo questões históricas e estruturais, falta de democracia interna nos partidos, políticas públicas ineficientes para promover a inclusão das mulheres no processo eleitoral e, especialmente, a falta de representatividade. É sobre este último aspecto que esta pesquisa se concentra. O aumento gradual e lento do número de mulheres eleitas não é suficiente para garantir uma representação efetiva nas Câmaras Legislativas e, ao mesmo tempo, estar em uma posição de destaque não garante maior visibilidade para as candidatas que buscam a reeleição. Com o advento das novas tecnologias de comunicação - que também são responsáveis pelos processos de democratização do acesso à informação das candidatas -, pode-se afirmar que as redes sociais têm sido aliadas das candidaturas femininas nos processos de eleição e reeleição para cargos legislativos? Além disso, como as candidatas utilizam essas plataformas para alcançar seu público e conquistar mais votos? Essas questões podem ser respondidas de várias maneiras. Uma delas é analisar como as Deputadas Estaduais utilizam as redes sociais. Em 2022, as campanhas eleitorais terão início em 16 de agosto, e é nessa data que a pesquisa analisará o perfil das cinco representantes paranaenses na Assembleia Legislativa do Paraná (Alep), visando compreender como foi construída a comunicação das candidatas que buscam a reeleição para o cargo de Deputada Estadual no Paraná. Ao final desta pesquisa, espera-se compreender as estratégias de mídia social adotadas pelas candidatas durante o lançamento de suas candidaturas e determinar o perfil comunicacional utilizado por elas no cenário eleitoral.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luciana Panke, Universidade Federal do Paraná

Professora do Programa de Pós-Graduação em Comunicação. Doutorado em Ciências da Comunicação (USP). Bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq - Nível 2.

Renata Caleffi, Universidade Federal do Paraná

Pós-doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Comunicação.

Referências

CASTELLS, M. A Sociedade em Rede. Tradução: Roneide Venâncio Majer. São Paulo: Paz e Terra, 2005.

CIACOLETTO, A. Estudios urbanos, gênero y feminismo: Teoria e experiências. Barcelona: Coletiu Punt 6, 2012.

GOMES, W. Transformações da política na era da comunicação de massa. São Paulo: Paulus, 2004.

JENKINS, H. Cultura da convergência. São Paulo: Aleph, 2010.

KINGDON, J. Agendas, Alternatives, and Public Policies. 3. ed. New York: 2003.

MONTANER, J. M. Gênero e visão del mundo. In: VALDIVIA, B. G.; CIACOLETTO, A. Estudios urbanos, gênero y feminismo: Teoria e experiências. Barcelona: Coletiu Punt 6, 2012.

PANKE, L. Campanhas eleitorais para mulheres: desafios e tendências. Curitiba: Ed. UFPR, 2016.

PANKE, L.; IASULAITIS, S. Mulheres no poder: aspetos sobre o discurso feminino nas campanhas eleitorais. Opinião Pública, Campinas, v. 22, n. 2, ago. 2016. Disponível em: https://www.scielo.br/j/op/a/nPwPLVHpnbF3sYpTZps9WCs/?format=pdf&lang=pt. Acesso em: 12 jul. 2022. DOI: https://doi.org/10.1590/1807-01912016222385

RECUERO, R. Introdução à análise de redes sociais. [S. l.]: [s. n.], 2009.

SODRÉ, M. A narração do fato: notas para uma teoria do acontecimento. Petrópolis, RJ: Vozes, 2009.

VITTADINI, N. Comunicar con los Nuevos Media. In: BETTETINI, G.; COLOMBO, F. Las Nuevas Tecnologías de la Comunicación. Barcelona: [s. n.], 1995.

Publicado

30/06/2023

Como Citar

PANKE, L.; CALEFFI, R. De 0 ao 1: O lançamento das campanhas das candidatas a deputadas estaduais para a reeleição no Paraná. Teoria & Pesquisa Revista de Ciência Política, São Carlos, v. 32, n. esp.1, p. e023007, 2023. DOI: 10.31068/tp.v32iesp.1.1050. Disponível em: https://www.teoriaepesquisa.ufscar.br/index.php/tp/article/view/1050. Acesso em: 24 fev. 2024.

Métricas

Artigos Semelhantes

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.