Perfis comunicacionais das candidatas às prefeituras de São Paulo e Rio de Janeiro

Uma análise das campanhas eleitorais em 2020

Autores

DOI:

https://doi.org/10.31068/tp.v32iesp.1.1055

Palavras-chave:

Mulheres na política, Campanhas eleitorais femininas, Imagem pública, Eleições 2020, Horário Eleitoral Gratuito

Resumo

Este artigo visa identificar os perfis de comunicação das mulheres candidatas às prefeituras de São Paulo e Rio de Janeiro, os dois maiores colégios eleitorais do Brasil, durante as eleições municipais de 2020, por meio de seus programas de rádio e televisão no Horário Gratuito de Propaganda Eleitoral (HGPE). Em São Paulo, três mulheres concorreram no pleito: Joice Hasselmann (PSL), Marina Helou (REDE) e Vera (PSTU). No entanto, apenas Joice Hasselman teve tempo de rádio e TV, de acordo com a legislação eleitoral. No caso do Rio de Janeiro, seis mulheres lançaram suas candidaturas para a prefeitura: Benedita da Silva (PT), Clarissa Garotinho (PROS), Delegada Martha Rocha (PDT), Glória Heloiza (PSC), Renata Souza (PSOL) e Suêd Haidar (PMB), sendo esta última a única que não teve programas veiculados no HGPE. Naquele ano, em ambas as capitais, nenhuma candidatura feminina conseguiu avançar para o segundo turno, situação semelhante à registrada nos demais municípios do país. Entre os fundamentos teóricos utilizados nesta pesquisa, destacam-se os estudos sobre gênero, mulheres na política e imagem pública, embasados em autores como Bourdieu (2012), Biroli (2018), Panke (2011, 2016, 2020, 2021), Weber (2004) e Lipovetsky (2007). A fase empírica consistiu em uma pesquisa exploratória dos programas veiculados no HGPE, um espaço garantido pela legislação eleitoral brasileira para os partidos políticos divulgarem seus candidatos e plataformas. O objetivo dessa fase foi compreender como as postulantes se apresentaram ao eleitorado, utilizando as tipologias propostas por Panke (2016) para a análise de campanhas eleitorais femininas. Segundo a autora, os três arquétipos femininos predominantes nas disputas eleitorais — Guerreira, Maternal e Profissional — se distinguem por atributos específicos, que podem ser identificados nos vídeos e classificados com base nos princípios da Análise de Conteúdo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Silvia Maria da Silva Cunha, Universidade Federal do Paraná

Doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Comunicação. Pesquisadora do Grupo de Pesquisa Comunicação Eleitoral (CEL/UFPR).

Karina Lançoni Bernardi, Universidade Federal do Paraná

Mestrado pelo Programa de Pós-Graduação em Comunicação. Pesquisadora do Grupo de Pesquisa Comunicação Eleitoral (CEL/UFPR).

Fabiane Alves de Lima, Universidade Federal do Paraná

Doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Design.

Referências

BARDIN, L. Análise de Conteúdo. 1. ed. 3. Reimpr. São Paulo: Edições, 70, 2016.

BIROLI, F. Gênero e Desigualdades: Limites da Democracia no Brasil. São Paulo: Boitempo, 2018.

BOURDIEU, P. A Dominação Masculina. Tradução: Maria Helena Kühner. 11. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2012.

BRASIL. Estatísticas do eleitorado. Brasília: Tribunal Superior Eleitoral, [21--]. Disponível em: https://sig.tse.jus.br/ords/dwapr/seai/r/sig-eleitor-eleitorado-mensal/home?session=1085213546065. Acesso: 07 ago. 2022.

BRASIL. Mulheres representam apenas 12% dos prefeitos eleitos no 1º turno das eleições de 2020. Brasília: Tribunal Superior Eleitoral, 24 nov. 2020a Disponível em: https://www.tse.jus.br/comunicacao/noticias/2020/Novembro/mulheres-representam-apenas-12-dos-prefeitos-eleitos-no-1o-turno-das-eleicoes-2020. Acesso: 14 ago. 2022.

BRASIL. Eleição Municipal Ordinária 2020: Rio de Janeiro, RJ. Brasília: Tribunal Superior Eleitoral, 2020b. Disponível em: https://resultados.tse.jus.br/oficial/#/eleicao;e=e426;uf=rj;mu=60011/resultados. Acesso em 15 ago. 2022.

BRASIL. Eleição Municipal Ordinária 2020: São Paulo, SP — Prefeito. Brasília: Tribunal Superior Eleitoral, 2020c. Disponível em: https://resultados.tse.jus.br/oficial/#/eleicao;e=e426;uf=sp;mu=71072/resultados/cargo/11. Acesso em: 15 ago. 2022.

CUNHA, S. A participação das candidatas à vice-presidência de 2018 nos debates eleitorais audiovisuais. 2021. 141 f. Dissertação (Mestrado em Comunicação) – Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2021. Disponível em: https://acervodigital.ufpr.br/handle/1884/72594. Acesso: 10 jan. 2022.

LIMA, A. Guerreiras, maternais e profissionais: candidatas à presidência do Brasil no HGPE televisivo. 2017. 122 f. Dissertação (Mestrado em Comunicação) – Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2017. Disponível em: https://acervodigital.ufpr.br/handle/1884/47990. Acesso: 10 jan. 2022.

LIPOVETSKY, G. La Tercera Mujer: permanencia y revolución de lo feminino. 6. ed. Barcelona: Editora Anagrama, 2007.

PANKE, L. Campanhas Eleitorais para Mulheres: desafios e tendências. Curitiba: Editora UFPR, 2016.

PANKE, L. Um estudo de caso das narrativas audiovisuais das candidatas mais votadas às prefeituras das capitais brasileiras em 2020. Cuestiones de Género: de la igualdad y la diferencia, León, Espanha, n. 16, p. 459-474, jun. 2021a.

PANKE, L. Dilmãe Guerreira: As tipologias arquetípicas da primeira candidata eleita à Presidência do Brasil. In: WEBER, M. H. (org.). Pactos e disputas político-comunicacionais sobre a presidenta Dilma. Porto Alegre: Figura de Linguagem, 2021b. p. 230-254.

RIO DE JANEIRO - HGPE Ep 15 – 2020. [S. l.: s. n.], 2021a. 1 vídeo (10 min). Publicado pelo Canal Panke. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=qH0Gt7eKzW8. Acesso em: 10 jan. 2023.

RIO DE JANEIRO - HGPE Ep 30 – 2020. [S. l.: s. n.], 2021b. 1 vídeo (10 min). Publicado pelo Canal Panke. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=5og-F9BKMIo. Acesso em: 10 jan. 2023.

WEBER, M. Imagem Pública. In: RUBIM, A. Comunicação e Política, conceitos e abordagens. Salvador: Editora UFBA, 2004.

Publicado

30/06/2023

Como Citar

CUNHA, S. M. da S.; BERNARDI, K. L.; LIMA, F. A. de. Perfis comunicacionais das candidatas às prefeituras de São Paulo e Rio de Janeiro: Uma análise das campanhas eleitorais em 2020. Teoria & Pesquisa Revista de Ciência Política, São Carlos, v. 32, n. esp.1, p. e023010, 2023. DOI: 10.31068/tp.v32iesp.1.1055. Disponível em: https://www.teoriaepesquisa.ufscar.br/index.php/tp/article/view/1055. Acesso em: 24 fev. 2024.

Métricas