O sujeito político LGBTQIA na teoria marxista

Conexões entre classe, gênero e sexualidade

Autores

DOI:

https://doi.org/10.31068.310206

Palavras-chave:

Marxismo, Gênero, Sexualidade, Teoria Queer

Resumo

O objetivo deste artigo é compreender o lugar do sujeito político LGBQIA na teoria marxista em diálogo com as proposições teóricas com o feminismo marxista e o feminismo queer. Para tanto, nosso ponto inicial corresponde ao debate com o feminismo marxista do final da década de 1970 e início da década de 1980, tendo como base as análises sobre os sistemas duais de Heidi Hartmann. Em seguida, situamos a emergência das categorias de gênero e sexualidade a partir dos estudos queer e a virada em relação às políticas de reconhecimento. Por fim, analisamos as considerações de Judith Butler, Nancy Fraser e Cinzia Aruzza sobre a relação entre teoria queer, pensamento marxista e os debates paradigmáticos entre redistribuição e reconhecimento como um momento concreto de possibilidade de renovação do marxismo, no sentido de incorporar as dimensões da opressão sexual e de gênero ao projeto teórico-político de transformação proposto pelo marxismo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ARRUZZA, Cinzia. Ligações Perigosas: Casamentos e Divórcios entre Marxismo e Feminismo. São Paulo: Usina, 2019. p. 129-140.

BUTLER, Judith. Corpos que Pesam: Sobre os Limites Discursivos do “Sexo”. In: LOURO, Guacira. L. (Org). O Corpo Educado: Pedagogias da Sexualidade. Trad. SILVA, Tomaz. T. da. Belo Horizonte: Autêntica, 2000. p.151-166.

________. Problemas de Gênero: Feminismo e Subversão da Identidade. Trad. AGUIAR, Renato. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003. p. 17-60.

________. El Marxismo y lo Meramente Cultural. Social Text, 52-53, otoño-invierno, 1997. p. 109-121.

FRASER, Nancy. Iustitia Interrupta. Trad. HOLGUÍN, Magdalena & JARAMILLO, Isabel. C. Santa Fé de Bogotá: Siglo del Hombre Editores, Universidad de los Andes. Facultad de Derecho, 1997.

__________. Heterosexismo, Falta de reconocimiento y Capitalismo: uma Respuesta a Judith Butler. Social Text, 52-53, otoño-invierno, 1997.

__________. Da Redistribuição ao Reconhecimento? Dilemas da Justiça numa Era “Pós-socialista”. Trad. SIMÕES, Julio. A. Cadernos de Campo, São Paulo, n. 14/15, p. 231-239, 2006.

HARTMANN, Heidi. Un Matrimonio Mal Avenido: Hacia una Unión más Progresiva entre Marxismo y Feminismo. Papers de la Fundació/88, 1996.

HARVEY, David. O Enigma do Capital e as Crises do Capitalismo. Trad. PESCHANSKY, João. A. São Paulo, SP: Boitempo, 2011. p. 53-57.

MENDONÇA, Ricardo. Fabrino. Reconhecimento. In: AVRITZER, Leonardo et. al (Org.) Dimensões Políticas da Justiça. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, p. 169-185, 2013.

REBUCINI, Gianfranco. Marxismo Queer: Abordagens Materialistas das Identidades Sexuais. Revista Crítica Marxista, Campinas, SP, n. 48, p. 109-125, 2019.

SCOTT, Joan. Gênero: uma Categoria Útil de Análise Histórica. (1995). Trad. DABAT, Christine R. & ÁVILA, Maria. B. SCOTT, Joan. Gender: a Useful Category of Historical Analyses. Gender and the Politics of History. New York, Columbia University Press, 1989.

Downloads

Publicado

14/02/2023

Como Citar

CONRADO, Z. O sujeito político LGBTQIA na teoria marxista: Conexões entre classe, gênero e sexualidade . Teoria & Pesquisa Revista de Ciência Política, São Carlos, v. 31, n. 2, p. 106–124, 2023. DOI: 10.31068.310206. Disponível em: https://www.teoriaepesquisa.ufscar.br/index.php/tp/article/view/927. Acesso em: 24 abr. 2024.

Edição

Seção

Artigos

Métricas