Resenha: O populismo reacionário no Brasil

Projeto tradicionalista ou ambivalência da modernidade política?

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14244/tp.v33i00.1044

Palavras-chave:

reactionary populism, extreme right, bolsonarism, political modernity.

Resumo

This review analyzes the book O Populismo Reacionario, which formulates a dialectic and plural interpretation of the internal and external factors that were decisive for the rise of the extreme right to the presidency of the Republic and its rooting in Brazilian political culture. The text combines, in a very well articulated way, political theory, constitutional theory, Brazilian legal and political thought, as well as institutional analysis that allow the formulation of an original theoretical contribution to understand the political tragedy of contemporary Brazil. The authors manage to convincingly support the novelty of reactionary populism in Brazil, by demarcating its globality as a political phenomenon and the particularities of its institutionalization in the country. However, I argue that Bolsonarism is an expression of the bipolarity of political modernity, and not an authentic reactionary movement that, from the point of view of political ideas and practices, aims to destroy political modernity.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcos Abraão Ribeiro, Instituto Federal Fluminense

Doutor em Sociologia Política (UENF). Professor EBTT no Instituto Federal Fluminense, campus Campos Centro.

Referências

AHLERS, A. L.; STICHWEHT, R. The bipolarity of democracy and authoritarianism: value patterns, inclusion roles and forms of internal differentiation of political systems. Sociologia e Antropologia, Rio de Janeiro, v. 3, n. 9, p. 819-846, 2019.

CASSIMIRO, P. H. P. Os usos do conceito de populismo no debate contemporâneo e suas implicações sobre a interpretação da democracia. Revista Brasileira de Ciência Política, Brasília, v. 35, p. 1-52, 2021.

DAMATTA, R. Você sabe com quem está falando? Estudos sobre o autoritarismo brasileiro. Rio de Janeiro, Rocco, 2020.

DOMINGUES, J. M. Teoria crítica e modernidade política. São Paulo/Rio de Janeiro: HUCITEC/PUC-Rio, 2021.

DUTRA, R.; RIBEIRO, M. A. Existe um autoritarismo brasileiro? Uma interpretação alternativa à tese da singularidade política nacional. Revista Brasileira de Sociologia, v. 9, n. 22, p. 246-273, 2021.

FUKS M.; MARQUES. P. H. “Contexto e voto: o impacto da reorganização da direita sobre a consistência ideológica do voto nas eleições de 2018”. Opinião Pública, v. 26, n. 3, p. 401-430, set.-dez. 2020.

GOMES, A. C. O populismo e as ciências sociais no Brasil: notas sobre a trajetória de um conceito. Tempo, v. 1, n. 2, p. 59-72, 1996.

IORIS, R. Os EUA na encruzilhada: a crise do sonho americano. Insight Inteligência, Rio de Janeiro, n. 93, p. 128-137, 2021.

LEVITISKY, S.; ZIBLAT, D. Como as democracias morrem. Rio de Janeiro: Zahar, 2018.

MIGUEL, L. F. O colapso da democracia no Brasil. Da Constituição ao golpe de 2016. São Paulo: Fundação Rosa Luxemburgo/Expressão Popular, 2019.

LYNCH, C.; CASSIMIRO, P. O populismo reacionário. São Paulo, Contracorrente, 2022.

MORELOCK, J. (Org.). Critical theory and authoritarian populism. Londres: University of Westminster Press, 2018.

NOBRE, M. Ponto-final: a guerra de Bolsonaro contra a democracia. São Paulo: Todavia,2020.

PY, F. Cristofascismo à brasileira na eleição de 2018. 2020. Disponível em: https://www.cartamaior.com.br/?Editoria/Eleicoes/Cristofascismo-a-brasileira-na-eleicao-de-2018. Acesso em: 19 set. 2020

PY, F. Padre Paulo Ricardo: trajetória política digital recente do agente ultracatólico do cristofascismo brasileiro, Tempo & Argumento, n. 13, v. 34, p. 2-28, 2021.

RIBEIRO, M. A. Lilia Schwarcz e a persistência do nacionalismo metodológico nas interpretações do Brasil. Sociologias, n. 54, p. 358-373, 2020.

RICCI, P; IZUMI, M.; MOREIRA, D. O populismo no Brasil (1985-2019). Um velho conceito a partir de uma nova abordagem, Revista Brasileira de Ciências Sociais, n.107, v. 36, p. 1-22, 2021.

SANTOS, W. G. A democracia impedida: o Brasil no século XXI. Rio de Janeiro: FGV, 2017.

TEITELBAUM, B. Guerra pela eternidade: o retorno do Tradicionalismo e a ascensão da direita populista. Tradução de Cynthia Costa. Campinas: Editora Unicamp, 2020.

SCHWARCZ, L. M. Sobre o autoritarismo brasileiro. São Paulo, Companhia das Letras, 2019.

WEFFORT, F. O populismo na política brasileira. Rio de Janeiro, Ed. Paz e Terra, 5ªed, 2003.

Downloads

Publicado

17/04/2024

Como Citar

RIBEIRO, M. A. Resenha: O populismo reacionário no Brasil: Projeto tradicionalista ou ambivalência da modernidade política?. Teoria & Pesquisa Revista de Ciência Política, São Carlos, v. 33, n. 00, p. e024006, 2024. DOI: 10.14244/tp.v33i00.1044. Disponível em: https://www.teoriaepesquisa.ufscar.br/index.php/tp/article/view/1044. Acesso em: 24 maio. 2024.

Edição

Seção

Resenhas

Métricas