A América do Sul no governo Bolsonaro (2019-2022)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14244/tp.v32iesp.3.1042

Palavras-chave:

América do Sul, Bolsonaro, Política externa

Resumo

O presente artigo tem como objetivo principal a discussão sobre as mudanças de diretrizes da Política Externa Brasileira (PEB) durante o governo de Jair Bolsonaro (2019-2022) para a América do Sul. O subcontinente foi durante duas décadas plataforma de ação internacional da PEB após o fim da Guerra Fria e a redemocratização do Brasil. Estratégias distintas tiveram o entorno geográfico como base diplomática fundamental e ações bi e multilaterais fortaleceram a América do Sul como entidade geopolítica com forte protagonismo brasileiro. Entretanto, o governo Bolsonaro se elegeu a partir de um discurso que buscava mudanças substantivas na tradicional diplomacia nacional, deslocando as relações existentes no subcontinente. Nossa discussão será focada na política externa de Bolsonaro para América do Sul e de como os preceitos que alicerçam o bolsonarismo refletiram no deslocamento diplomático para a região. Faremos uma breve recapitulação da PEB para a América do Sul desde os anos 1990. Em seguida, apresentaremos os conceitos e base ideológicas do bolsonarismo, assim como sua conexão internacional. Finalmente, discutiremos as ações diplomáticas do período bolsonarista para o entorno geográfico e suas consequências para os existentes projetos regionais existentes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Paulo Gustavo Pellegrino Correa, Universidade Federal do Amapá

Professor do curso de Relações Internacionais e do Programa de Pós-graduação em Estudos de Fronteira (PPGEF).

Ivan Henrique de Mattos e Silva, Universidade Federal do Amapá

Professor do curso de Ciências Sociais e do Programa de Pós-graduação em Estudos de Fronteira (PPGEF).

Referências

ALMEIDA, P. R. Apogeu e demolição da política externa: itinerários da diplomacia brasileira. 1. ed. Curitiba: Appris, 2021. v. 1.

ALMEIDA, P. R. Rupturas e continuidades na política externa brasileira, 1985-2023: vicissitudes da diplomacia no Brasil. CEBRI revista, [S. l.], v. 1, p. 40-55, 2022.

BERLANZA, L. Guia Bibliográfico da Nova Direita: 39 livros para compreender o fenômeno brasileiro. São Luís: Ed. Resistência Cultural, 2017.

BOBBIO, N. Direita e Esquerda: razões e significados de uma distinção política. Tradução de Marco Aurélio Nogueira. São Paulo: Ed. Unesp, 2011.

BOBBIO, N. Liberalismo e Democracia. Tradução de Marco Aurélio Nogueira. São Paulo: Edipro, 2017.

BROWN, W. In the Ruins of Neoliberalism: the Rise of Antidemocratic Politics in the West. Nova Iorque: Columbia University Press, 2019. DOI: https://doi.org/10.7312/brow19384

BURGES, S. Bounded by the reality of trade: practical limits to a South American region. Cambridge Review of International Affairs, [S. l.], v. 18, n. 3., p. 437-454, out. 2005. DOI: https://doi.org/10.1080/09557570500238076

BURITY, J. A onda conservadora na política brasileira traz o fundamentalismo ao poder? In: ALMEIDA, R.; TONIOL, R. (org.). Conservadorismos, Fascismos e Fundamentalismos: Análises conjunturais. Campinas, SP: Ed. Unicamp, 2018. DOI: https://doi.org/10.7476/9788526815025.0002

CARAPANÃ. A nova direita e a normalização do nazismo e do fascismo. In: SOLANO, E. (org.). O ódio como política: a reinvenção das direitas no Brasil. São Paulo: Boitempo Editorial, 2018.

CARVALHO, O. A Nova Era e a Revolução Cultural: Fritjof Capra & Antonio Gramsci. Rio de Janeiro: Instituto de Artes Liberais & Stella Caymmi Editora, 1994.

CARVALHO, O. O Imbecil Coletivo: Atualidades Inculturais Brasileiras. São Paulo: Faculdade da Cidade Editora, 1999.

CARVALHO, Oe. O Jardim das Aflições: De Epicuro à Ressureição de César: Ensaio sobre o Materialismo e a Religião Civil. Rio de Janeiro: Ateliê 19 Editora, 1998.

CERVO, A. L. Relações internacionais do Brasil: um balanço da era Cardoso. Revista Brasileira de Política Internacional, [S. l.], v. 1. n. 45, p. 5-35, 2002. DOI: https://doi.org/10.1590/S0034-73292002000100001

CERVO, A. L. Inserção Internacional: formação dos conceitos brasileiros. São Paulo: Saraiva, 2008.

CERVO, A. L.; LESSA, A. C. O declínio: inserção internacional do Brasil (2011-2014). Revista Brasileira de Política Internacional, [S. l.], v. 57, p. 133-151, 2014. DOI: https://doi.org/10.1590/0034-7329201400308

CHAGAS, V.; MODESTO, M.; MAGALHAES, D. O Brasil vai virar Venezuela: medo, memes e enquadramentos emocionais no WhatsApp pró-Bolsonaro. ESFERAS, [S. l.], p. 1, 2019. DOI: https://doi.org/10.31501/esf.v0i14.10374

CHALOUB, J.; PERLATTO, F. Intelectuais da "nova direita" brasileira: ideias, retórica e prática política. In: ENCONTRO ANUAL DA ANPOCS, 39., 2015, Caxambu. Anais [...]. Caxambu, MG: [s. n.], 2015.

COSTA, W. M. O Brasil e a América do Sul: cenários geopolíticos e os desafios da integração. Confins, Paris, v. 7, p. 7, 2009. DOI: https://doi.org/10.4000/confins.6107

DARDOT, P.; LAVAL, C. A Nova Razão do Mundo: ensaio sobre a sociedade neoliberal. Tradução de Mariana Echalar. São Paulo: Boitempo Editorial, 2016.

DI CARLO, J.; KAMRADT, J. Bolsonaro e a Cultura do Politicamente Incorreto na Política Brasileira. Teoria e Cultura, [S. l.], v. 13, n. 2, p. 55-72, 2018. DOI: https://doi.org/10.34019/2318-101X.2018.v13.12431

FRASER, N. Do neoliberalismo progressista a Trump – e além. Tradução de Paulo S. C. Neves. Política e Sociedade, [S. l.], v. 17, n. 40, p. 43-64, 2018. DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7984.2018v17n40p43

KERSTENETSKY, C. L. Progresso e pobreza na Economia Política Clássica. Texto Para Discussão 184. Economia UFF, [S. l.], 2005.

MARINGONI, G. Venezuela, o novo espantalho. In: MARINGONI, G.; GIORGIO ROMANO SCHUTTE, G. R.; BERRINGER, T. (org.). As bases da política externa bolsonarista: relações internacionais em um mundo em transformação (1ed.). Santo André: Editora da Universidade Federal do ABC, 2021. v. 1, p. 173-182.

MIGUEL, L. F. A democracia domesticada: bases antidemocráticas do pensamento democrático contemporâneo. Revista Dados, [S. l.], v. 45, n. 3, p. 483-511, 2002. DOI: https://doi.org/10.1590/S0011-52582002000300006

NETTO, M. N.; CAVALCANTE, S. M.; CHAGURI, M. M. O homem médio e o conservadorismo liberal no Brasil contemporâneo: o lugar da família. In: Encontro Anual da ANPOCS, 43., 2019, Caxambu. Caxambu, MG: [s. n.], 2019.

PINHEIRO-MACHADO, R. Amanhã vai ser maior: o que aconteceu com o Brasil e possíveis rotas de fuga para a crise atual. São Paulo: Ed. Planeta, 2019.

POWER, T. The Political Right in Post-Authoritarian Brazil: Elites, Institutions and Democratization. University Park: Penn State University Press, 2000.

PRECIADO, J. América Latina no sistema-mundo: questionamentos e alianças centro-periferia. CADERNO CRH, Salvador, v. 21, n. 53, p. 253-268. maio/ago. 2008. DOI: https://doi.org/10.9771/ccrh.v21i53.18971

ROCHA, C. "Menos Marx, mais Mises": uma gênese da nova direita brasileira (2006-2018). 2018. 233 f. Tese (Doutorado em Ciência Política) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2018.

ROCHA, J. C. C. Guerra cultural e retórica do ódio: crônicas de um Brasil pós-político. Goiânia: Editora e Livraria Caminhos, 2021.

SARAIVA, M. G.; SILVA, A. V. C. Ideologia e pragmatismo na política externa de Jair Bolsonaro. Relações Internacionais, Lisboa, v. 64, p. 117-137, 2019. DOI: https://doi.org/10.23906/ri2019.64a08

SILVA, I. H. M. Da Nova República à nova direita: o bolsonarismo como sintoma mórbido. Revista Sociedade e Cultura, [S. l.], v. 14, p. 1-37, 2021.

SILVA, I. H. M. “Liberal na economia e conservador nos costumes”: uma totalidade dialética. Revista Brasileira de Ciências Sociais, [S. l.], v. 36, n. 107, p. 1-19, 2021. DOI: https://doi.org/10.1590/3610702/2021

TEITELBAUM, B. War for Eternity: Inside Bannon’s far-right circle of global power brokers. Nova Iorque: Dey Street Brooks, 2020.

VIDIGAL, C. E. Bolsonaro e a reorientação da política exterior brasileira. Meridiano 47 (UNB), [S. l.], v. 20, p. 1-16, 2019. DOI: https://doi.org/10.20889/M47e20011

VIGEVANI, T.; CEPALUNI, G. A política externa de Lula da Silva: A estratégia da autonomia pela diversificação. Contexto Internacional, [S. l.], v. 29, n. 2, p. 273-335, 2007. DOI: https://doi.org/10.1590/S0102-85292007000200002

VIGEVANI, T; OLIVEIRA, M. F. A política externa braslieira na era FHC: um exercício de autonomia pela integração. In: ENCONTRO NACIONAL DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE CIÊNCIA POLÍTICA, 4., 2004. Anais [...]. Rio de Janeiro: [s. n.], 2004.

Publicado

20/12/2023

Como Citar

CORREA, P. G. P.; SILVA, I. H. de M. e. A América do Sul no governo Bolsonaro (2019-2022). Teoria & Pesquisa Revista de Ciência Política, São Carlos, v. 32, n. esp.3, p. e023027, 2023. DOI: 10.14244/tp.v32iesp.3.1042. Disponível em: https://www.teoriaepesquisa.ufscar.br/index.php/tp/article/view/1042. Acesso em: 22 maio. 2024.

Métricas