Ideologia e comportamento parlamentar na Câmara dos Deputados

Autores

  • Fernando Scheeffer

DOI:

https://doi.org/10.4322/tp.v27i2.670

Resumo

Um dos focos de interesse na literatura brasileira recente é a verificação do grau em que as supostas diferenças ideológicas entre os partidos interferem no comportamento dos atores políticos. Diante desse cenário, o presente trabalho se propõe verificar o peso da ideologia no comportamento parlamentar em tempos atuais a partir da análise de um conjunto de votações nominais ocorridas durante o governo Dilma Rousseff na Câmara dos Deputados. São analisados temas substantivos do ponto de vista político-ideológico e que, em tese, implicariam em dissenso entre parlamentares e partidos de esquerda e de direita. O banco de dados utilizado consiste nas informações disponibilizadas pelo site da Câmara dos Deputados e de responsabilidade do Centro de Documentação e Informação (CEDI). O posicionamento ideológico é confrontado com o posicionamento estratégico (governo/oposição) a fim de saber qual variável tem melhor poder explicativo. Em termos metodológicos foram calculados os coeficientes de contingência das duas variáveis, além de serem feitas análises de regressão logística. Sem pretender negar a importância das relações presentes no nosso presidencialismo de coalizão, o trabalho mostra que em temas com teor ideológico claro, sobretudo aqueles que extrapolam a tradicional dimensão relativa a mais ou menos Estado, a ideologia prevalece e os partidos em sua maioria se posicionam de forma coerente com o que é esperado do ponto de vista político-ideológico. A exceção são os casos em que estão em jogo recursos financeiros, seja onerando significativamente ou então gerando receita vultosa ao executivo federal.

Downloads

Publicado

2018-12-11

Edição

Seção

Dossiê