ALINHAMENTO DE INTERESSE ENTRE A ELITE INDUSTRIAL E A ELITE ESTATAL PARANAENSE?

UMA ANÁLISE PELA AGENDA LEGISLATIVA DA FIEP

Autores

DOI:

https://doi.org/10.31068/tp.30202

Resumo

Qual é o grau de alinhamento entre elites econômicas industriais e as elites estatais no âmbito estadual? Para responder a essa questão, analisamos a atuação política do setor industrial diante dos poderes Executivo e Legislativo. Estudamos, especificamente, o caso do estado do Paraná. Por meio de estatística descritiva, investigamos se os interesses da Federação das Indústrias do Estado do Paraná (FIEP) foram atendidos pela Assembleia Legislativa (ALEP) e pelo governo do estado. Com base na análise de conteúdo das Agendas Legislativas da FIEP de 2006 a 2014, verificamos, através da taxa de convergência, o grau de convergência entre os posicionamentos dos empresários, de um lado, e as decisões da ALEP e do Executivo estadual, de outro. Os resultados do estudo não encontraram alinhamento igual ou superior a 80% em nenhum dos períodos, e em nenhum dos poderes. Além disso, houve grande variabilidade no grau dos alinhamentos, tanto entre os períodos, quanto entre os poderes Legislativo e Executivo. Com isso, acreditamos demonstrar não haver convergência constante de alinhamentos entre as elites industriais e as elites estatais paranaenses.

Referências

Alep. Website da Assembleia Legislativa do Paraná. 2020. Pesquisa Legislativa. Disponível em: <http://portal.assembleia.pr.leg.br/index.php/pesquisa-legislativa/proposicao>. Acesso em: 04/04/2020.

Bittencourt, Maiane; Albuquerque, Mateus de; Codato, Adriano. 2020. Agendas legislativas da Federação das Indústrias do Estado do Paraná. figshare. Dataset. DOI: 10.6084/m9.figshare.12121545.v1

Borck, Igor Sulaiman Said Felicio. 2019. Padrões de ação coletiva do empresariado industrial no Brasil: a agenda legislativa da CNI em 2017. Revista Sociologias Plurais, 5(1): 398-415.

Boschi, Renato; Diniz, Eli. 2016. Autonomia e dependência na representação de interesses industriais. In: Szwako, José; Moura, Rafael; D’avila Filho, Paulo (org). Estado e Sociedade no Brasil: a Obra de Renato Boschi e Eli Diniz. Rio de Janeiro: CNPq; FAPERJ; INCT/PPED; Idea D.

Bresser-Pereira, Luiz Carlos; Diniz, Eli. 2009. Empresariado industrial, democracia e poder político. Novos Estudos, 84.

Costa, Paulo Roberto Neves; Borck, Igor Sulaiman Said Felicio. 2019. Empresariado, parlamento e democracia: a CNI e o Congresso Nacional (2010-2017). Opinião Pública, 25(2).

Costa, Luiz Domingos; Codato, Adriano. Reconversão, popularização e ambição: três conceitos sobre as elites parlamentares brasileiras. 11º Encontro ABCP, Curitiba, 11(11): 1-26.

Cadoná, Marco André. 2015. Burguesia Industrial e a “Agenda de Desenvolvimento” Para o Rio Grande do Sul Durante os Anos 90. Desenvolvimento em Questão, 13(31).

Cano, Wilson. 2012. A desindustrialização no Brasil. Economia e Sociedade, Campinas, 21(Número Especial): 831-851.

Cano, Wilson. 2015. Crise e industrialização no Brasil entre 1929 e 1954: a reconstrução do estado Nacional e a política nacional de desenvolvimento. Revista de Economia Política, 35(3): 444-460.

Costa, Homero de Oliveira. 2007. Democracia e Participação na Teoria Política. Cronos, 8(1): 215-228.

Costa, Paulo Roberto Neves; Engler, Ícaro Gabriel da Fonseca. 2008. Elite empresarial: recrutamento e valores políticos (Paraná, 1995-2005). Opinião Pública, Campinas, 14(2).

Costa, Lucas Nascimento Ferraz; Troiano, Mariele. 2016. Uma análise das atuações do Diap e da Fiesp sob a ótica da teoria institucional. Alabastro: revista eletrônica dos alunos da Escola de Sociologia e Política de São Paulo, 2(8): 56-71.

CNI. Website “Portal da Indústria”. 2020. Ranking das informações industriais de cada estado da federação. Disponível em:

<http://perfildaindustria.portaldaindustria.com.br/ranking?cat=4&id=2375>. Acesso em: 04/04/2020.

Diniz, Eli. 2016. Empresariado e projeto neoliberal na América Latina: uma avaliação dos anos 80. In: Szwako, José; Moura, Rafael; D’avila Filho, Paulo (org). Estado e Sociedade no Brasil: a Obra de Renato Boschi e Eli Diniz. Rio de Janeiro: CNPq; FAPERJ; INCT/PPED; Idea D.

Diniz, Eli. "Neoliberalismo e Corporativismo: as Duas Faces do Capitalismo Industrial no Brasil". Revista Brasileira de Ciências Sociais, nº 20, ano 7, outubro. (1992).

FIEP. 2006. Agenda Legislativa da Indústria do Estado do Paraná. Curitiba (PR): Federação da Indústria do Paraná.

FIEP. 2014. Agenda Legislativa da Indústria do Estado do Paraná. Curitiba (PR): Federação da Indústria do Paraná.

FIEP. 2017. Agenda Legislativa da Indústria do Estado do Paraná. Curitiba (PR): Federação da Indústria do Paraná.

FIEP. Website da FIEP. 2020. Lista dos sindicatos filiados. Disponível em:

<http://www.fiepr.org.br/sindicatos/>. Acesso em: 04/04/2020.

FIEP. Website da FIEP. Área “Sobre a Fiep”. Disponível em: <http://www.fiepr.org.br/quem- somos/>. Acesso em: 20/04/2020.

Fonseca, Pedro Cezar Dutra. 2003. Sobre a Intencionalidade da Política Industrializante do Brasil na Década de 1930. Revista de Economia Política, 23(1:89).

Güths, Marisa Larsen. 2006. A Ação Política do Empresariado Industrial Catarinense: O Caso da FIESC - Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina. In: WORKSHOP EMPRESA, EMPRESÁRIOS E SOCIEDADE, V, 2006, Porto Alegre. Anais do V Workshop Empresa, Empresários e Sociedade.

Graziano, Luigi. 1994. Pluralismo em perspectiva comparativa: notas sobre as tradições européia e americana. Revista Brasileira de Ciências Sociais, 9(26).

Griebeler, Juliano Braga; Braga, Sérgio. 2014. Ação empresarial em escala regional: um estudo da permeabilidade do Legislativo do Paraná à ação da Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep)na 16ª legislatura (2007-2011). Revista Sociedade e Estado, 29 (3).

Mancuso, Wagner Pralon. 2004. O lobby da Indústria no Congresso Nacional: Empresariado e Política no Brasil Contemporâneo. DADOS – Revista de Ciências Sociais, 47(3).

Mancuso, Wagner Pralon. 2007. O Empresariado como Ator Político no Brasil: Balanço da Literatura e Agenda de Pesquisa. Revista de Sociologia e Política, 28:131-146.

Miliband, Ralph. 1982. O Estado na Sociedade Capitalista. Rio de Janeiro: Zahar.

Migliorini, Sonia Mar dos Santos. 2006. Indústria Paranaense: Formação, Transformação Econômica a partir da Década de 1960 e Distribuição Espacial da Indústria no Início do Século XX. Revista Eletrônica Geografar, 1(1): 62-80.

Moraes, Rafael. 2010. Os governos João Goulart e Castello branco vistos pela FIES: uma análise da relação entre o estado e o empresariado industrial. Dissertação de Mestrado. Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

Nojima, Daniel. 2002. Crescimento e Reestruturação Industrial no Paraná – 1985/2000. Revista Paraná Desenvolvimento, 103: 23-43.

Oliveira, Andréa. 2004. Lobby e representação de interesses: lobistas e seu impacto sobre a representação de interesses no Brasil. Tese (Doutorado). Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Estadual de Campinas.

Poulantzas, Nicos. 2019. Poder político e classes sociais. Campinas: Editora Unicamp.

Santos, Manoel. 2014. Representação de Interesses na Câmara dos Deputados: o Lobby e o Sucesso da Agenda Legislativa da Indústria. Revista Ibero-Americana de Estudos Legislativos. Rio de Janeiro, 1:52-70.

Santos, Fabiano; Graça, Luis. 2009. Uma análise da produção legislativa durante os dois primeiros anos do governo Sérgio Cabral: indicadores quantitativos e qualitativos em uma perspectiva comparativa. Relatório de Pesquisa. Disponível em: http://www.fazenda.rj.gov.br/sefaz/content/conn/UCMServer/uuid/dDocName%3A982105. Acesso em 02/04/2020.

Downloads

Publicado

2022-03-11

Edição

Seção

Artigos