A CONSTRUÇÃO DA PROPAGANDA ELEITORAL: A ESTRUTURA DO HGPE NO BRASIL A PARTIR DE UMA PERSPECTIVA LONGITUDINAL

Autores

  • Massuchin Goulart Michele
  • Cavassana Fernanda

DOI:

https://doi.org/10.4322/tp.v29i1.777

Resumo

O artigo propõe uma análise longitudinal com o objetivo de identificar padrões e mudanças nas formas utilizadas para a construção da propaganda eleitoral televisiva produzida no Brasil, de 2002 a 2014, pelos dois principais partidos nas disputas: PT e PSDB. Apesar do crescente uso de outras formas de campanha, o Horário Gratuito de Propaganda Eleitoral (HGPE) ainda é central nas disputas presidenciais por representar a agenda dos candidatos e ser um espaço próprio na mídia de massa. Dentre os diferentes elementos que constituem a propaganda política, um deles é o formato usado para apresentar os conteúdos. Assim, a análise trabalha com a categorização dos formatos, comparando os partidos e a distribuição longitudinal com base na análise de conteúdo quantitativa descritiva de 75 programas do PT e PSDB do primeiro turno das quatro disputas. Os resultados mostram mudanças ao longo dos anos, pouco condicionada às diferenças partidárias e com uma evolução para um modelo mais distante da publicidade e mais próximo do jornalismo

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

27/10/2022

Como Citar

MICHELE, M. G.; FERNANDA, C. A CONSTRUÇÃO DA PROPAGANDA ELEITORAL: A ESTRUTURA DO HGPE NO BRASIL A PARTIR DE UMA PERSPECTIVA LONGITUDINAL. Teoria & Pesquisa Revista de Ciência Política, São Carlos, v. 29, n. 1, 2022. DOI: 10.4322/tp.v29i1.777. Disponível em: https://www.teoriaepesquisa.ufscar.br/index.php/tp/article/view/777. Acesso em: 17 jun. 2024.

Edição

Seção

Artigos

Métricas