ESTABILIDADE POLÍTICA E EFICIÊNCIA ECONÔMICA: AS DEMOCRACIAS TÊM MELHOR PERFORMANCE?

Autores

  • Italo Beltrão Sposito

DOI:

https://doi.org/10.4322/tp.v28i2.736

Resumo

Em um contexto internacional de crescente questionamento da eficiência e representatividade dos regimes democráticos, a discussão sobre os mecanismos democráticos para garantir representação política e melhorar o desempenho econômico é vital. A partir das definições e tipologias classificatórias dos regimes políticos, este artigo desenvolve uma análise sobre as formas de representação política e de alocação de recursos pelos representantes – discutindo a relação entre partidos políticos e eleitorado, e entre políticas clientelistas e programáticas – e seus impactos sobre a eficiência política e estabilidade dos regimes, e suas performance econômica. Foi possível identificar que apesar de as definições objetivas de regime político serem menos complexas e não identificarem variações nas liberdades políticas e sociais entre regimes democráticos, garantem a possibilidade de generalização para análises empíricas comparadas que apresentaram fortes indícios quanto a superioridade das democracias no desempenho econômico, fator que, geralmente, é o principal definidor das escolhas dos eleitores. As evidências empíricas apontam à superioridade das democracias em nível de representatividade política e desempenho econômico, questionando o argumento de que a estabilidade social garantida pelas autocracias tem impacto positivo no desenvolvimento econômico

Downloads

Publicado

2019-11-02

Edição

Seção

Artigos